20 de maio de 2010

Coluna: Disco da semana


Ad Ogni Costo



Gravadora: GTA Records
Ano: 1967
Faixas:
1- Dirgli Solo No (Pantagruele)
            2 - Vai Via Malinconia (Bardotti / Ennio Morricone)

Análise:
Durante a temporada italiana de Maysa na Toscana, ela fora convidada pelo renomado Ennio Morricone - compositor, arranjador e maestro italiano, autor de inúmeras trilhas sonoras de sucesso para o cinema como os longas Cinema Paradiso e Os Intocáveis, para gravar duas músicas para o filme Ad Ogni Costo (À Qualquer Preço / Grand Slam), de Giuliano Montaldo, com a trilha sonora produzida pelo próprio Morricone. O longa tinha cenas rodadas no Rio de Janeiro e a trama se baseava em torno de um roubo prestes a acontecer no carnaval carioca, o elenco era estrelado por Janeth Leigh, Robert Hoffman e Klaus Kinski.

Maysa cantou em italiano escorreito as canções "Dirgli Solo No" (Basta dizer não) e "Vai Via Malinconia" (Vá embora melancolia), lançadas em compacto simples pela GTA Records, mais um disco internacional de Maysa que o público brasileiro jamais teve notícia. Para os ouvintes é uma surpresa ouvir Maysa cantar em italiano tão fluente, com uma pronúncia tão elegante e refinada, onde se nota total ausência de sotaque; mas até ali já não era de se espantar a versatilidade de Maysa que ainda no Brasil gravara em inglês, francês, espanhol, italiano e até em turco (!) dando demonstrações de seu decantado cosmopolitismo.

Além de demonstrações perfeitas do cosmopolitismo de Maysa, "Dirgli Solo No" e "Vai Via Malinconia" são canções dignas de prestígio e o disco não é ruim nem de longe. A primeira delas, com seu viés melancólico e refrão potente, se encaixa perfeitamente no repertório de Maysa, já "Vai Via Malinconia" com seu ritmo agitado e refrão contagiante, aliados ao título sugestivo (Vá embora melancolia) nos remetem a uma bossa à la italiana.

Ainda na temporada italiana em 1967, Maysa alugou uma casa em Milão e por lá fez uma boa temporada em Viareggio, localizada no litoral da Toscana. Ali mesmo, no início de 1967, ela fez uma temporada de sucesso na boate Bussola, onde no mesmo ano a cantora italiana Mina gravaria um histórico álbum ao vivo, e três anos antes foi palco para apresentações de João Gilberto. Maysa ainda gravaria um outro disco na Itália lançado pela mesma GTA Records; mas no fim do ano acabaria voltando à Madri junto ao marido Miguel Azanza, contudo, ela ainda voltaria à Itália em outras ocasiões para shows em boates e apresentações na televisão italiana. Estas apresentações resultaram na reedição italiana do disco Barquinho, de 1961, relançado na Itália pela CBS, com o nome de Tempo di Samba.

3 comentários:

  1. Texto fantástico....que maravilha poder visualizar as capas dos discos internacionais...

    ResponderExcluir
  2. nossa eu tbm queria as letras dessas muscicas!!! ninguem conhece alguem que fale italiano pra ajudar?

    ResponderExcluir